A minha primeira foto a um animal selvagem

Não é a recordação mais antiga que tenho de tentar fotografar animais selvagens. A primeira vez que me lembro de tentar, tinha eu, uns 6 ou 7 anos. Os meus pais tinham uma câmara Nikon bem robusta e eu obviamente estava proibido de lhe tocar. 

Tudo aconteceu num certo dia, quando o pássaro mais bonito que algum dia eu tinha visto, aparecera no nosso quintal. Era uma Poupa (Upupa epops), corri logo para casa à procura da câmara, na tentativa de ainda fotografar esta belíssima ave, mas quando cheguei já era tarde demais. Já só a vi a partir. Desde desse dia, nunca mais esqueci o pássaro que raramente passava por aqui.
Poupa (Upupa epops) - Foto de Pxhere
12 ou 13 anos mais tarde, comprei a minha primeira câmara fotográfica e logo no primeiro dia tive o privilégio de fotografar um Veado Vermelho selvagem (Cervus elaphus), animal que nunca tinha visto, a não ser em cativeiro, como já tinha referido numa publicação anterior. Mas esse não foi o primeiro animal selvagem que fotografei nesse dia, estava cheio de sorte.

Momentos antes, um pequeno sardão (Timon lepidus = Lacerta lepida) apareceu para uma sessão fotográfica e eu não podia deixar passar a oportunidade. Foi o primeiro grande teste com a câmara e posso dizer que fiquei bastante impressionado.
Sardão Juvenil (Timon lepidus) - Foto de Francisco M. Costa
O Sardão, também é um animal que raramente tive a ocasião de encontrar, mas curiosamente, toda a minha vida ouvi histórias dos meus pais, avós e vizinhos, de como os sardões eram maus, que atacavam as pessoas e  até mesmo que, quando mordiam teriam de ser arrancados a ferro. Não sei bem de onde vem tanta superstição, talvez dos filmes ou do aspecto deles. Não sei, mas no entanto, já fui mordido por um parente do sardão e não doeu nada, o Lagarto-de-Água (Lacerta schreiberi), endemismo da Peninsula Ibérica. A mordidela pareceu-me a mim, mais um 'Olá' do que um chega para lá. Só fez cócegas e foi mesmo na ponta do dedo. Entretanto também irei partilhar essa sessão fotográfica, que foi das mais incríveis e divertidas que já tive.
Sardão juvenil  (Timon lepidus) - Foto de Francisco M. Costa
É importante referir que a captura ou tentativa de ferir estes animais é estritamente proibida, é um animal ameaçado de extinção em vários países, portanto, parto eu do princípio que todos temos o dever moral de proteger estes incríveis animais.


 

O Sardão pode ultrapassar os 60 cm., sendo considerado o maior lagarto da Europa. É facilmente reconhecido pela sua cor, verde intensa (quando adulto). Alimenta-se sobretudo de insetos, como escaravelhos, mas também por vezes sente a necessidade de umas comidas mais requintadas, como ovos de aves, outros répteis, pequenos mamíferos ou até mesmo fruta. 

** 

Até hoje, ainda não consegui fotografar nenhum adulto, espero conseguir assim que venha mais calor. Se algum dos leitores tiver fotos deste fantástico animal, não hesitem em partilhar connosco. Podem faze-lo no nosso facebook, instagram ou mesmo enviando-nos um mensagem. Partilhem, comentem, sintam-se em casa.  Até já!



0 comentários:

Enviar um comentário

My Instagram